terça-feira, 23 de dezembro de 2014

Ary dos Santos

NATAL É QUANDO UM HOMEM QUISER

Tu que dormes a noite na calçada de relento
Numa cama de chuva com lençóis feitos de vento
Tu que tens o Natal da solidão, do sofrimento
És meu irmão amigo
És meu irmão

O Natal é quando um Homem quiser!

E tu que dormes só no pesadelo do ciúme
Numa cama de raiva com lençóis feitros de lume
E sofres o Natal da solidão sem um queixume
És meu irmão amigo
És meu irmão

Natal é em Dezembro
Mas em Maio pode ser
Natal é em Setembro
É quando um homem quiser
Natal é quando nasce uma vida a amanhecer
Natal é sempre o fruto que há no ventre da Mulher

Tu que inventas ternura e brinquedos para dar
Tu que inventas bonecas e combóios de luar
E mentes ao teu filho por não os poderes comprar
És meu irmão amigo
És meu irmão

E tu que vês na montra a tua fome que eu não sei
Fatias de tristeza em cada alegre bolo-rei
Pões um sabor amargo em cada doce que eu comprei
És meu irmão amigo
És meu irmão

Natal é em Dezembro
Mas em Maio pode ser
Natal é em Setembro
É quando um homem quiser
Natal é quando nasce uma vida a amanhecer
Natal é sempre o fruto que há no ventre da Mulher

23 comentários:

  1. É Natal quando quisermos sem duvida!
    Bom Natal para ti Til....
    Beijinho

    ResponderEliminar
  2. Ontem li este poema intemporal e pensei:
    É sempre um homem quiser sim, quando a alegria se espelha no olhar, quando damos de nós a quem precisa e recebemos de quem nos ama o que nos preenche a alma. Bom Natal pata ti, beijo.

    ResponderEliminar
  3. E "mai" nada :)))
    Bela partilha, Til.
    Deixo um beijo e um abraço rapariga:))))
    E votos de um bom Natal.

    ResponderEliminar
  4. Só Ary dos Santos para escrever assim...

    ResponderEliminar
  5. Lindo poema Til! Não conhecia, nele está contida tanta verdade, nua e crua!

    Beijinhos e um Natal maravilhoso

    ResponderEliminar
  6. Lindo esse poema, aliás como qualquer um do Ary dos Santos...
    Feliz Natal Palhacita (com carinho) beijinhos

    ResponderEliminar
  7. Gosto muito deste Natal!

    Boas Festas, Til! Beijinhos! :)

    ResponderEliminar
  8. Enquanto lia, parecia que ouvia as palavras.
    Feliz Natal
    um beijinho
    Gábi

    ResponderEliminar
  9. Feliz Natal Til :) e obrigada pelo poema que me deixaste... gosto muito de Fernando Pessoa ;)

    ResponderEliminar
  10. Para o Poeta tenho sempre guardada uma lágrima de saudade.
    Para ti aqui ficam os votos de um Natal muito feliz e um sorriso.
    :)

    ResponderEliminar
  11. Que a magia da noite de Natal transforme todos os teus sonhos em realidade!!
    Feliz Natal!

    ResponderEliminar
  12. Querida amiga..........
    Eu nem posso elogiar teu blog... elogiar toda a delícia que emana de TI(L)...
    Toda a ternura com que respondes a todos... e todo o carinho que retribuis...
    Um grande abraço desse que muito te estima e admira....
    Ranurinha na ponta do nariz....

    ResponderEliminar
  13. Aproveitando um tempo de não fazer nada. estava olhando meus antigos poemas.
    Um samba que fiz com um amigo, mas que não fez sucesso.. só foi tocado em alguns bares, restaurantes... umas vezes na TV e no rádio...
    Mas eu gosto muito do poema:
    Chama-se "Cadeia"

    "A esperança brincou com minha lucidez.
    E desnudando-me a luz dos olhos.
    Esvaiu-se de mim.

    Minha lucidez esvaiu-se de mim.
    E brincou com a luz de meus olhos.
    Desnudando-me a esperança.

    E a luz de meus olhos
    Esvaiu minha esperança.
    E riu-se a lucidez...
    Que se desnudou perante mim."
    Beijinhos!!!!! ************

    ResponderEliminar
  14. Sem veia poética fica apenas o desejo de Festas Felizes.

    ResponderEliminar
  15. O Natal já lá vai! Espero que tenha sido bom! Desejos de um feliz ano novo, com tudo de bom para a minha nova amiga "palhacinha".
    Beijinho

    ResponderEliminar

Estás Tilt?