quinta-feira, 4 de dezembro de 2014

Poder e Prazer.Prazer e Poder.O Poder do Prazer ou o Prazer do Poder.Todos no fundo do poço e ninguém escapava.Homens*

Vagueava pela vida, entre a multidão…Inverteu o sentido da marcha!
Agora era Jeremias Matias.
Multimilionário de Indústrias Farmacêuticas.
Homem de sucesso e capaz de importantes decisões.
Papel principal…
PODER!
08.50H de todos os dias…Entrou no elevador. Andou…Saiu do elevador!
As portas abriram-se para o mundo…
Uma passagem larga forrada com painéis renascentistas com o nome da empresa "Matias", em letras garrafais, em toda a parede. Uma recepção, sala aberta e requintada. Portas de escritório cobriam as paredes e dois departamentos envidraçadas, de conferência, em ambos os cantos da grande área. Havia uma sensação de ‘mundo’, madeiras nobres e destaques em ouro misturados com iluminação moderna e várias obras de arte.
Mundo dos negócios!
Todos os dias chegava ao poleiro à mesma hora, impreterivelmente!
O seu escritório ficava no último andar de um grande edifício.
Impecavelmente vestido.
Adequado.
Terno e gravata.
Respirava poder…
Hoje o dia era importante.
Dia de rescindir vários contratos de trabalho temporários…Era dia de entregar cheques e lacrar vínculos. Era dia de colocar pessoas no desemprego. As decisões sobre demissões são semanais. Gostava de assinar essas directrizes… Missão cumprida!
Em viagem…
De Limusina para o aeroporto de voos privados para ricos e influentes….
Enquanto cruzava o oceano, rabiscava apontamentos com caneta de prata.
Chegada ao outro aeroporto de voos para ricos e influentes…
Limusina…Hotel…Suite…
O interior da suite era incrível e espalhafatoso.
Espelhos dourados e prateados.
Pinturas.
Candelabros de ouro e cristal.
Molduras cheias de rococó.
Filigrana em cada canto.
Paredes ilustradas com tapeçarias valiosas.
Na banheira de porcelana estava Ela, sua ‘secretária pessoal’.
Afundada na água quente.
Banho de espuma.
Fragrância sem estima e limão doce.
“Quero-te aqui agora”…
Palavras de comando de quem quer ser obedecido.
“Veste isto”…
Corpete de cetim branco…Puro!
“Deita-te e fica quieta”…


O PODER do PRAZER!

20 comentários:

  1. Excelente discrição da maioria dos grandes empresários.
    :)
    Boa Til

    ResponderEliminar
  2. Tenho aqui mesmo ao lado o Rio Douro...imagina-os amarrados a um calhau...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Os calhaus amarrados a um calhau.Hilariante!!!

      Eliminar
  3. Quem desdenha assim quer muito comprar :P

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ah que piada e que provocação:)
      Não é preciso comprar,são de borla

      Eliminar
  4. Que bela descrição.
    'Inté' fiquei boqueaberto.
    Resumindo e baralhando: gostei.
    ;-)

    ResponderEliminar
  5. Til, escrevi uma carta porque me querem poder!
    Til, Til...e eu que nada sei se devo escrever "P" ou "F"

    ResponderEliminar
  6. Ahh o prazer, o prazer...o poder de dar prazer...corpetes, hummmmm apetites de fim-de-semana :P

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Cada um com as suas taras, são gostos e então a ideia de tirar o corpete, ui...

      Eliminar
  7. Ainda que noutro papel, lembraste-me um filme do Clooney " Nas nuvens".
    Esses espécimes vão resistindo até que uma qualquer secretária sedutora decida afogá-los na banheira.
    Há outras soluções, mas esta foi a que me ocorreu.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Afogados na banheira...Excelente final!

      Eliminar
  8. Dizem que o poder pode tudo...Será?

    ResponderEliminar

Estás Tilt?