sábado, 21 de fevereiro de 2015

Abrir mentes...

Black and White: 130 • Sim, nós fodemos!: Peço desculpa pelo palavrão, mas este é o nome da campanha. A campanha Sim, Nós Fodemos está direcionada a todos os deficientes físicos, ...

21 comentários:

  1. É uma campanha forte, mas às vezes só um forte "impacto" é que consegue abrir mentes!

    ResponderEliminar
  2. Já lá fui Til. Infelizmente há muita mente medíocre, falsos moralistas e afins por aí. Esses só fazem Amor...
    Beijinho minha Linda :)

    ResponderEliminar
  3. Palhacita.....Mimalha...
    Bela iniciativa essa tua, de divulgar tão importante posicionamento social.
    Você é uma ternurinha de menina..... Estou inspirado**** ??????????????
    Ranurinha....

    ResponderEliminar
  4. acho a frontalidade fantástica :)

    ResponderEliminar
  5. e mentais inclusive (ex: paralisia cerebral, trissomia 21 e outras), porque também estes têm a sua sexualidade que deve ser aceite, compreendida e nunca por nunca desvalorizada.

    Gostei imenso de ler o link...e infelizmente ainda existem muitas mentes nada abertas!

    Um abraço

    ResponderEliminar
  6. Pessoas com deficiência são pessoas. Amam, desejam e fodem como todos. Isto é apenas mais um preconceito que é necessário combater. Acho que a campanha está muito bem conseguida.

    ResponderEliminar
  7. Til, o pinterest é um género de rede social onde podemos agrupar todo o tipo de imagens por álbuns, conforme o nosso interesse =)
    Perde uns minutinhos e vai lá explorar. Vale a pena!

    ResponderEliminar
  8. Eu vi uma reportagem sobre esse assunto e no fim fiquei a pensar "então e porque não? Afinal são seres humanos como os outros apenas têm algumas limitações só isso"

    ResponderEliminar
  9. Verdade Til...só com frases fortes se derrubam barreiras arquitetonicas e mentais de forma a dizer que todos independentemente do seu estado físico têm direito à sua própria sexualidade.

    Boa semana , beijinho*

    ResponderEliminar
  10. Acho que conseguiram o objectivo: chamaram à atenção... só assim, neste país de pequeninos.

    ResponderEliminar
  11. Já conhecia o projecto e sim, por vezes é necessário chamar os bois pelos nomes (passo a expressão).

    :)

    ResponderEliminar
  12. Til, nunca poderemos ter um impacto na sociedade se não nos mudarmos primeiro.!

    Bom Fim de Semana.:)

    ResponderEliminar
  13. Uma campanha com todas as letras no seu lugar!

    ResponderEliminar
  14. Oh, obrigada :))))
    Bom fim de semana, beijinho

    ResponderEliminar
  15. Muitos são tão limitados que nem entendem!

    Beijo, Til! :)

    ResponderEliminar
  16. Segui o link e revi o "trailer" do filme Seis Sessões. Gostei do filme e esta parece-me uma campanha muito importante.

    ResponderEliminar
  17. Acho que o nome foi muito bem escolhido e ajudou imenso a divulgar a campanha.

    ResponderEliminar
  18. Uma questão muito importante a ser debatida. Li várias notícias sobre o assunto.

    ResponderEliminar
  19. Trata-se do 1º colóquio que realizaram a 14 de fevereiro.
    Eu não gostei e se leres mais a respeito - principalmente comentários nas notícias que divulgam a iniciativa, vais entender a «polémica».

    Gostei particularmente de um em que se podia ler algo como: «sempre achei que o deficiente «fodia», como todos os seres humanos.... não entendo porquê pressupor que não». «Se querem ser levados a sério não é com vulgaridades que visam chocar que chegam lá». «Todos nós precisamos de sexo, de fazer amor... mas se só querem fd....» . Entre outras questões verdadeiras que deviam ser levadas em conta quando se tenta fazer de uma não-questão uma questão.

    ALguns se interrogaram o que é que isto adianta ou ajuda. Uma pessoa que se dizia portadora de deficiencia, explicou que o preconceito, por estranho que pareça, existe mais entre deficientes ou familiares do que «do público em geral».

    Eu não sei se isto fez alguma coisa por alguém além de provocar e cair no esquecimento de seguida...

    ResponderEliminar

Estás Tilt?