sábado, 7 de março de 2015

Uma professora não pode ser chata...


Só chata não!
Também pode ser aborrecida,enfadonha,enfastiante...
Há uma panóplia de opções*
Agora,ser estimulante é que não!
Não vá a canalha começar a pensar pela própria cabeça...

27 comentários:

  1. Verdade! Estimulante é razão para processo disciplinar!

    Beijo, Til. :)

    ResponderEliminar
  2. Depende da definição de estimulante :-)
    Bom fim de semana.

    ResponderEliminar
  3. Ó Palhacita não sejas chata com os cachopos. Muito menos estimulante, isso dá direito a processo. 😅

    ResponderEliminar
  4. A democracia está domesticada por um ensino castrador ...

    ResponderEliminar
  5. Pois é, senão depois quem é que os atura? Raio da canalha que tem opiniões e coiso e tal.

    ResponderEliminar
  6. Infelizmente é a triste realidade, embora ainda existam professores que fogem dessas regras e tudo fazem em prol dos seus alunos.

    Um bom domingo

    ResponderEliminar
  7. Pois claro que não, onde já se viu sequer admitir que o objectivo do ensino pudesse ser ensinar/estimular a pensar!
    Nem pensar!

    Obrigado pela visita,
    FATifer

    ResponderEliminar
  8. Credo! Estimulante, uma professora... onde é que já se viu? :))

    ResponderEliminar
  9. A minha mãe era professora de história, uma disciplina ingrata, mas acho que ias gostar dela:)))
    Se os professores tiverem alma e amor à causa no que respeita ao transmitir conhecimento, estimulam o raciocínio dos seus meninos sim.
    Beijinho grande Til:)

    ResponderEliminar
  10. Estimular a canalha hoje em dia é coisa impraticável!

    ResponderEliminar
  11. Til...adultos não se podem colocar a estimular crianças, pode ser mal interpretado.

    ResponderEliminar
  12. Interesante post!!!
    Quieres que seamos seguidoras?
    Besos, desde España, Marcela♥

    ResponderEliminar
  13. “Quanto mais abstracta for a verdade que queres ensinar, mais tens que seduzir os sentimentos a seu favor.” Friedrich Nietzsche

    Til, o ensino em Portugal é algo problemático… infelizmente actualmente é aconselhável não se deixar deslumbrar por ele, muito menos estimular os alunos! :P

    ResponderEliminar
  14. uma professora nunca é chata...

    bj doce

    ResponderEliminar
  15. Mais uma aula estimulante, e o paizinho vai reclamar...

    ResponderEliminar
  16. Por isso mesmo é que deixei de ser professora faz tempo... ;)

    ResponderEliminar
  17. Não faz parte dos conteúdis profissionais estimular a cabeça da canalha. Estou fora.
    Kis : }

    ResponderEliminar
  18. Palhacita.....
    Venha lecionar aqui no Brasil..... corres o risco de falar para as paredes...
    Além da ótima idéia que tive....

    ResponderEliminar
  19. Um bom professor torna-se chato de tão exigente que é! :P

    ResponderEliminar
  20. Já nada é como antigamente hoje em dias para se ser professora é preciso uns quantos requisitos estranhos, nada é como antigamente ou como no meu tempo, não é que eu seja assim muito velha ;)

    ResponderEliminar
  21. Baixar a fasquia é preciso!
    Ainda mais?!:(

    ResponderEliminar
  22. Eu tive professoras estimulantes! Não me lembro dos nomes, mas a forma estimulante como ensinavam não esquecerei...
    Portanto, para bem do sistema educativo nacional, é bom
    que as "storas" continuem a ser estimulantes.

    ResponderEliminar
  23. Já tinha passado por aqui mas em falso, por rasteira do Blogger. Obrigado pela presença na minha janela.

    Til, chapéu ou prote(c)ção?
    Eu que ando confuso em termos de ortografia, se uso a de antes ou a do (des)AO, chego aqui e começo logo com uma pergunta… de grafia (?)
    Estou convi(c)to que as professoras não são culpadas do desacordo, chato, que nos puseram nas mãos. Na verdade, nas escolas, elas usam-no compulsivamente, tornou-se obrigatório por lei.

    Adiante, uma professora chata deveria ser proibida de se aproximar da escola. Sempre as houve, mas também as interessantes por serem exigentes ou “boas e outros motivos que não adianta agora referir. As melhores eram as exigentes e “boas”. Tive-as na adolescência; na aula aplicavam-se e não tinham contemplações em sancionar a cabulice e nas festas convidavam os alunos para dançar.

    ResponderEliminar

Estás Tilt?